queda de cabelo por estresse queda de cabelo por estresse

Saiba como combater a queda de cabelo por estresse

6 minutos para ler

Se tem algo que assusta não apenas as mulheres, mas também, muitos homens, é a queda de cabelo. No entanto, é importante não confundir o problema com quebra capilar que, em um primeiro momento, podem parecer a mesma situação.

O cabelo pode quebrar em diferentes partes ao longo de sua extensão, por razões como o uso de químicas e a falta de cuidados de hidratação. Por outro lado, a queda de cabelo por estresse e ansiedade significa que o fio se desprendeu do couro cabeludo.

Nesse sentido, pode até ser um sintoma de problemas como anemia, falta de equilíbrio hormonal, além de doenças emocionais. Cuidar da saúde significa prestar atenção a todos os sinais que o corpo emite para dizer que algo não esteja indo bem. Assim, procurando ajuda médica logo no início do problema será mais fácil encontrar tratamentos eficientes.

Para você que tem dúvidas sobre o que pode ocasionar a queda capilar, bem como o que é preciso fazer para evitar a situação, explicamos o que de mais importante você precisa saber. Confira!

A relação entre queda de cabelo e saúde emocional

Dia a dia corrido, inúmeras tarefas que precisam ser cumpridas ao mesmo tempo, trabalho, família e cuidados da casa são algumas das situações mais comuns que homens e mulheres enfrentam atualmente. Como resultado, cada vez mais, precisam lidar com sintomas de depressão, ansiedade e altos níveis de estresse.

Tudo isso ocorre por conta de toda essa sobrecarga de funções, que atrapalham o emocional. É importante destacar que a alopecia, que é a queda capilar, também pode estar associada a problemas psicológicos.

Sintomas de doenças emocionais

Desequilíbrios emocionais que chegam a causar problemas físicos são considerados doenças psicossomáticas. Excesso de trabalho, insatisfações no ambiente profissional, conflitos familiares, traumas e ansiedade são algumas das situações que possibilitam o surgimento dessas doenças de fundo emocional.

Para saber se esse é o seu caso, é importante prestar atenção aos sinais que o próprio corpo emite. Entre os principais sintomas físicos percebidos e que podem estar relacionados a doenças psicossomáticas, podemos listar os seguintes:

  • insônia;
  • queda de cabelo;
  • taquicardia;
  • tensão nos músculos;
  • tremores;
  • transpiração excessiva;
  • dores em diferentes partes do corpo, como costas e cabeça;
  • enjoos e dores no estômago;
  • boca seca;
  • batimentos cardíacos acelerados.

Claro que outros sintomas também podem surgir, mas perceba que a queda de cabelo pode ser um sinal de que o seu emocional pode estar precisando de atenção. Por isso, ao sentir qualquer mudança no seu corpo, mesmo que mínima, identifique se o problema se tornará frequente e, claro, peça ajuda médica sempre que achar necessário.

Diariamente, é normal que aconteça queda de cabelo, pois esse precisa ser renovado. No entanto, quando você verifica que a quantidade de fios caindo está acima do normal, esse é um sinal de alerta que indica a necessidade de investigação da sua saúde.

Estresse e queda de cabelo

Um quadro de estresse por surgir por inúmeros motivos, como a perda de um ente querido, problemas de saúde, sobrecarga emocional e mesmo depressão. Entre os muitos problemas que podem vir acompanhados está a queda capilar.

Isso acontece porque, quando o indivíduo está estressado, muitas vezes, ele não consegue se alimentar direito. Ingerindo menos proteínas do que o recomendado, o cabelo será afetado porque ele é, basicamente, composto por essa cadeia de aminoácidos.

Além do mais, o estresse também é responsável por aumentar a inflamação no corpo, o que também atrapalha o desenvolvimento dos fios. Ao perceber sinais de estresse, o ideal é que você procure um médico para avaliar sua saúde mental e, de acordo com o necessário, iniciar o tratamento mais adequado.

De forma geral, alguns dos sintomas mais comuns de estresse são:

  • dificuldades para se concentrar;
  • ansiedade e pensamento acelerado;
  • excessiva preocupação;
  • dificuldades para dormir;
  • baixa imunidade;
  • mudanças no apetite;
  • queda de cabelos;
  • sensação de cansaço;
  • irritabilidade.

Além da queda de cabelo, o estresse causa todos os problemas listados acima, e muitos outros. Os sintomas variam de acordo com cada pessoa.

Os tipos mais comuns de queda capilar

Há vários tipos de queda capilar, sendo que alguns são mais fáceis de ser tratados do que outros. Entre os mais conhecidos, podemos listar os seguintes:

  • alopecia androgenética — essa pode ser entendida como calvície hereditária, afetando os homens, principalmente. Está relacionada a hormônios e também acomete mulheres, em especial, após a menopausa;
  • alopecia areata — nesse caso, o próprio sistema imunológico da pessoa ataca os folículos capilares. Geralmente, o fio volta a crescer naturalmente depois de um período;
  • alopecia por tração — normalmente, é causada pelo uso excessivo de penteados como rabos-de-cavalo e tranças, quando esses são usados por longos períodos;
  • alopecia cicatricial — é um quadro de queda de cabelo que pode ser causado por doenças autoimunes, inflamações, traumas, infecções e até uso de químicas;
  • eflúvio telógeno — estresse extremo é o maior causador dessa doença que se caracteriza pela queda capilar. Geralmente, acontece no pós-parto, quando o indivíduo faz dietas muitos restritivas e por conta de traumas emocionais.

Dicas para combater a queda de cabelo

queda de cabelo por estresse

Algumas atitudes simples no dia a dia podem ajudar a evitar a queda capilar. Alimentação saudável, manter os cabelos limpos, usar menos químicas, não prender o cabelo enquanto estiver molhado, cuidar da saúde mental e diminuir o estresse são algumas das dicas que você pode seguir.

Lembre-se sempre de manter os cuidados de saúde em dia, visitando o médico regularmente para prevenir situações que podem comprometer a sua rotina e a qualidade de vida. Doenças comuns da atualidade, como infarto ou ansiedade, podem ser evitadas, desde que você se preocupe com o seu bem-estar todos os dias.

Se você gostou deste conteúdo sobre queda de cabelo por estresse, aproveite para assinar nossa newsletter e receber os próximos posts por e-mail.

Marcar consulta Telemedicina

Posts relacionados

Deixe um comentário