o que é o período fértil o que é o período fértil

Você sabe o que é o período fértil feminino? Aprenda a calculá-lo!

10 minutos para ler

Tanto para as mulheres que desejam engravidar quanto para aquelas que querem prevenir uma gravidez na adolescência, por exemplo, saber o seu período fértil é fundamental para que elas consigam planejar os próximos passos de sua vida. De acordo com a faixa etária, as chances de conseguir engravidar naturalmente vão diminuindo com o avanço da idade. Mas você sabe o que é o período fértil?

Existem fatores individuais que podem comprometer a fertilidade de cada uma. Por isso, independentemente de você querer ou não ter filhos no momento, o ideal é fazer um check-up médico periodicamente, não apenas para o controle de doenças, mas também, para a prevenção de situações que podem ser comprometedoras na vida adulta.

Para você que tem dúvidas sobre o que significa o período fértil, como fazer os cálculos e os cuidados que cada mulher precisa ter, falamos os principais pontos sobre o assunto. Confira!

O que é o período fértil?

Normalmente, no período que compreende um mês, cada mulher tem cerca de seis dias considerados férteis, ou seja, propícios para a concepção de uma gravidez. Nesse curto espaço de tempo, um óvulo amadurecido sai do ovário para o útero e, durante o processo, essa célula feminina pode ser fecundada por um espermatozoide masculino, iniciando uma gestação.

É importante não confundir período fértil com menstruação, pois são situações totalmente distintas. Inclusive, essa fase em que a fertilidade da mulher está alta se inicia cerca de três dias antes do 14º dia do ciclo menstrual — quando esse se enquadra no período regular de 28 dias.

Há mulheres que têm ciclos menstruais menores, maiores ou mesmo irregulares. Ou seja, é importante visitar periodicamente um ginecologista para esclarecer essa e outras particularidades.

Enganam-se, aqueles que pensam que o ciclo menstrual diz respeito somente à menstruação, pois ao contrário, acontecem várias reações no corpo feminino. Na primeira metade do ciclo, o óvulo é preparado para sair do ovário, por exemplo.

Já na segunda metade do período, o útero se prepara para receber um óvulo fecundado, ou seja, uma gravidez. Então, para quem tem uma vida sexual ativa, mas não tem a intenção de ter filhos, o cuidado deve ser redobrado nessa fase do período fértil.

Já para os casais que desejam uma gravidez, essa é a época certa para se ter relações com esse intuito. Lembrando que um óvulo tem vida útil de 24 horas, enquanto os espermatozoides podem sobreviver por até cinco dias, ou seja, é possível ter relações alguns dias antes de o óvulo ser liberado e, mesmo assim, ele ser fecundado.

Quais são os sintomas do período fértil?

Até aqui, já deu para entender que é possível calcular quando será o período fértil apenas observando as datas da menstruação e considerando os diferentes ciclos. Além do mais, existem testes encontrados nas farmácias que também podem ser usados facilmente com a mesma finalidade.

Algumas mulheres apresentam sintomas físicos característicos que indicam que elas estão na fase fértil. De maneira geral, alguns dos sinais mais comuns são:

  • aumento do muco vaginal que ajuda no deslocamento dos espermatozoides;
  • temperatura corporal um pouco mais elevada do que o normal;
  • dor abdominal e mesmo aumento da libido por conta das mudanças hormonais.

Claro que nem todas as mulheres vão sentir os mesmos sintomas, e algumas delas nem vão perceber nenhum tipo de alteração. Então, não se baseie apenas pelos possíveis sinais que possam surgir, mas esteja atenta ao seu ciclo menstrual para fazer um melhor controle do período fértil.

Em alguns casos, além das mudanças físicas, a mulher também pode sofrer com a instabilidade emocional, causada pelos hormônios. Seja qual for a situação e, principalmente, se esses sintomas estiverem atrapalhando a sua qualidade de vida, um ginecologista poderá ajudar a lidar melhor com essas questões periódicas.

Quais são os fatores que podem interferir na fertilidade feminina?

Como vimos, muitos fatores podem alterar a fertilidade feminina. Porém, eles nem sempre são conhecidos, o que leva muitas mulheres a ter dificuldade de engravidar.

É importante ficar atenta porque existe uma variedade de verdades e mitos que giram em torno da fertilidade da mulher. Por isso, é fundamental você saber o que realmente pode interferir na capacidade de engravidar e gerar um bebê.

Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP)

A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) acomete, em média, 10% das mulheres em idade reprodutiva. Essa é uma das principais causas da infertilidade feminina com anovulação crônica, ou seja, mulheres que não ovulam regularmente. Nesses casos, elas podem demorar longos períodos entre os ciclos menstruais, podendo ficar por meses sem apresentar menstruação.

Esse distúrbio se inicia na puberdade, gerando um desequilíbrio hormonal progressivo. O SOP faz com que o organismo produza alguns hormônios em menor ou maior quantidade, o que aumenta a possibilidade do surgimento de cistos no ovário, influenciando a ovulação. Esses cistos podem modificar a estrutura ovariana, alterando o tamanho do ovário, que pode ficar até três vezes maior que o normal.

Os sintomas dessa síndrome podem variar conforme o organismo de cada mulher, sendo os mais comuns irregularidade nos ciclos, diminuição da frequência da ovulação e dificuldade para engravidar. A SOP também pode favorecer o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, obesidade e diabetes do tipo 2.

Endometriose

A endometriose afeta cerca de 10% a 15% das mulheres em idade reprodutiva e dessas em média 50% tendem a ficarem inférteis. Correm maior risco aquelas que nunca engravidaram ou que foram mães após os 30 anos. Outras questões também contribuem para o aparecimento da endometriose, como menstruação precoce, menopausa tardia, irregularidades menstruais e anomalias uterinas.

Esse distúrbio pode afetar várias etapas no processo de fecundação, além de interferir na qualidade dos óvulos, embriões e espermatozoides, podendo gerar problemas. Entre eles, a inibição da liberação do óvulo pelo ovário ou a captação dele pelas tubas uterinas.

Os sintomas da endometriose são muito variados, sendo a dor pélvica o mais comum. Essa dor pode ser severa e acompanhar a menstruação, que pode se apresentar com fluxo intenso. Incômodo na hora do ato sexual, dor nas costas e no fundo da barriga também são sintomas da doença.

Idade

A idade é um fator biológico que interfere na fertilidade da mulher e do homem. Isso porque, à medida que a pessoa envelhece, diminui seu potencial de ter filhos.

O momento exato em que isso acontece varia de pessoa para pessoa. No geral, a fertilidade feminina começa a diminuir a partir dos 30 anos, potencializando aos 35 anos e chegando à infertilidade aos 45 anos.

Consumo de álcool

O consumo excessivo de álcool altera a metabolização dos hormônios pelo fígado, levando ao desequilíbrio dos níveis hormonais e diminuindo as chances de engravidar. Considera-se que mulheres que tomam bebidas alcoólicas mais de quatro vezes por semana podem apresentar mais dificuldade na hora de gerar um bebê, precisando se submeter a tratamentos.

As bebidas alcoólicas também podem acentuar o risco do desenvolvimento de problemas ginecológicos, como o agravamento da Síndrome dos Ovários Policísticos e da endometriose.

Tabagismo

O hábito de fumar envolve não somente o uso dos cigarros convencionais, mas também, o consumo de narguilés, cachimbos e gomas de mascar. O tabagismo é considerado uma das principais causas das alterações reprodutivas.

O uso do tabaco influencia diretamente a ovulação porque aumenta a liberação dos radicais livres no organismo, e também interfere nos níveis de certos hormônios essenciais. Assim, a mulher pode apresentar irregularidade menstrual e, até mesmo, a ausência da menstruação.

O tabagismo interfere no funcionamento das tubas uterinas, responsáveis pela captação do óvulo e pelo transporte dos espermatozoides.

Uso de medicamentos

O uso de medicamentos antidepressivos por mulheres com histórico de ansiedade e depressão tende a prejudicar negativamente a fertilidade. Além disso, os próprios transtornos psiquiátricos podem diminuir a capacidade de reprodução feminina.

Como calcular o período fértil?

o que é o período fértil

A primeira informação que você deve considerar ao querer identificar o seu período fértil é entender qual é o tipo de ciclo menstrual. Normalmente, será de 28 dias — que é o tempo entre o primeiro dia da menstruação e a próxima.

Ou seja, se hoje for o primeiro dia da sua menstruação e ela for considerada de ciclo normal, daqui a 28 dias se iniciará uma nova semana de menstruação. Porém, por conta das diferenças hormonais de cada mulher, pode ser que esse intervalo tenha mais ou menos dias, como ciclos de 25 ou mesmo 30 dias.

Além disso, há algumas mulheres com ciclos irregulares, que não conseguem identificar esse intervalo tão facilmente. Essa variação pode ser causada por inúmeros fatores, como excesso de atividades físicas, ovários policísticos, problemas na tireoide ou mesmo quadros de estresse, por exemplo.

Mas considerando que o seu ciclo seja regular e, todos os meses, o intervalo entre uma menstruação e outra seja o mesmo, seu período fértil começa entre três dias antes do 14º dia do ciclo menstrual e termina três dias depois, ou seja, tem uma duração média de seis dias.

Como evitar uma gravidez não planejada?

Ao manter relações durante esse período fértil, as chances de acontecer uma gravidez são grandes — desconsiderando fatores como idade, por exemplo. Para aqueles que querem evitar a vinda de um filho, o ideal é usar algum método contraceptivo, como camisinha, pílula anticoncepcional, DIU (Dispositivo Intrauterino), entre outros.

Mas é preciso ter atenção quanto ao uso de medicamentos como a pílula, pois há diferentes opções no mercado, de acordo com as necessidades de cada mulher. Por isso, somente um ginecologista poderá receitar a mais certeira para cada caso.

Para quem deseja engravidar, é preciso também ter alguns cuidados, mesmo antes da concepção, como a ingestão de ácido fólico para evitar problemas no feto e atenção com a alimentação. Querendo ou não ter um bebê, o ideal é sempre buscar orientação médica adequada para não comprometer a saúde.

Viu como entender o que é período fértil nem é tão difícil? Bastam alguns cálculos e também um conhecimento sobre o próprio corpo para ter mais clareza sobre a melhor época para se engravidar ou reforçar os cuidados para se evitar uma gestação.

Você gostou deste conteúdo? Compartilhe com seus amigos nas suas redes sociais!

Posts relacionados

Deixe um comentário