6 dicas para proteger os idosos do Coronavírus

7 minutos para ler

O surto de coronavírus mudou a realidade de cidades inteiras ao redor do mundo. Lugares que sempre foram cheios de turistas, como Roma, na Itália, por conta do vírus se parecem mais com cidades fantasmas, já que a ordem das autoridades é que as pessoas fiquem em casa. O coronavírus e idosos é um tema que exige atenção de todos, tanto das pessoas mais velhas, como também dos seus familiares, médicos e pessoas de convívio em geral.

É importante ressaltar que as pessoas mais velhas já têm um sistema imunológico mais frágil do que os mais jovens. Nesse sentido, se recuperar contra o coronavírus, que é uma novidade e que o organismo humano ainda não tem anticorpos, é muito mais difícil para eles. Para quem tem dúvidas sobre como proteger pais e avós durante a pandemia, abaixo, listamos algumas dicas sobre o que fazer. Confira!

1. Quarentena em casa

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, na maior parte das pessoas infectadas pelo coronavírus, a doença provocada deverá ser considerada leve ou moderada. No entanto, pessoas com mais de 60 anos ou com problemas prévios de saúde como baixa imunidade, diabetes e hipertensão, são as que mais correm riscos de serem afetadas gravemente pelo vírus.

Para evitar que muitas pessoas desenvolvam quadros graves da doença no mesmo período, especialistas da área da saúde em todo o mundo propuseram a quarentena como medida inicial para conter o avanço da pandemia. Os sistemas de saúde em todo o mundo já não atendem todas as necessidades dos pacientes com doenças já conhecidas e com a chegada dos doentes graves por conta do vírus, que precisam de leitos nas UTIs, hospitais entrarão em colapso.

A medida adotada pelo governo da China, local onde a pandemia começou no final de 2019, foi o isolamento das pessoas, ou seja, a quarentena. Não permitindo que as pessoas circulassem pelas ruas sem necessidade, em algumas semanas o país viu os números de novos infectados pelo vírus caírem dia após dia. Então, para que os idosos fiquem protegidos, a dica número 1 é mantê-los em casa, com o mínimo de contato possível com outras pessoas. 

2.Cuidados de higiene

Manter bons hábitos de higiene também é essencial para se evitar a propagação do coronavírus e muitas outras infecções também. O vírus sai de um organismo infectado e é transmitido para outra pessoa por meio de gotículas que, por sua vez, podem ficar em superfícies como celular, maçanetas de portas, botão de elevador, entre outros lugares.

No entanto, essas gotículas somente contaminarão outra pessoa se essa passar a mão em uma superfície que tenha o vírus e, sem seguida, tocar em áreas mucosas como os olhos, nariz e boca. Então, para evitar essa forma de transmissão, o ideal é sempre manter as mãos limpas, higienizando-as sempre com água e sabão.

E claro, hábitos típicos dos brasileiros como abraçar e beijar as pessoas também são comportamentos de risco durante esse tipo de epidemia, pois o vírus circula facilmente entre as pessoas durante essas interações mais próximas – que devem ser controladas com a quarentena. 

3.Etiqueta da tosse

Para evitar a proliferação do coronavírus, é importante seguir também algumas práticas ao tossir ou espirrar, especialmente porque os mais jovens podem ter o vírus no organismo mesmo sem saber e, ao tossir ou espirrar, acabam contaminando terceiros.

O ideal é que ao tossir ou espirrar, a pessoa crie uma barreira na boca e nariz com um lenço, seja de papel ou outro material, uma proteção que funciona como uma máscara e que evita a dispersão do vírus no ambiente.

Caso não tenha esse lenço, pode-se tossir ou espirrar em cima do antebraço, também minimizando os riscos de espalhar gotículas com o vírus. Uma dúvida comum é quanto ao uso das máscaras. Novamente, a Organização Mundial da Saúde recomenda o uso desse acessório por profissionais da área da saúde ou por aqueles que apresentam sintomas da doença. 

4.Alimentação saudável

Muitas pessoas pensam que o período de quarentena funciona como se fossem férias, mas na verdade não é bem assim. Durante essa época, também é importante que as pessoas, principalmente idosos e pessoas com problemas de saúde, mantenham uma alimentação saudável e equilibrada.

Afinal, durante uma época de epidemia os riscos de contrair uma doença são mais altos e quanto mais saudável o corpo estiver, mais rapidamente e facilmente ele conseguirá se recuperar em um possível caso de contaminação.

Em casa, a dica é manter alimentos saudáveis como frutas, verduras e legumes com maior durabilidade, tais como lentilha, arroz, feijão, e mesmo polpas e vegetais congelados. Batata, cenoura e repolho estão entre os vegetais que duram mais tempo na geladeira.

Lembrando que todos os vegetais e frutas devem ser muito bem lavados e higienizados antes do consumo. Carnes cruas ou malpassadas devem ser evitadas durante épocas de grande circulação de vírus. 

5.Hidratação em dia

Outra dica fundamental que não serve apenas para os idosos, mas para todas as faixas etárias, é manter o corpo hidratado. Não é preciso tomar 1 litro de água ao acordar, mas ao longo do dia manter um bom nível de hidratação. Para aqueles que não têm esse hábito, vale a pena investir em outras alternativas também para serem intercaladas com o consumo da água, como chás e sucos naturais de frutas.

Lembrando que o consumo de açúcar não é recomendado pelos especialistas em nutrição, então, tanto os chás quanto os sucos não devem ser adoçados, principalmente com açúcar branco ou refinado. Para variar de vez em quando, água de coco é uma opção, mas na maior parte do dia o ideal é que seja consumida apenas água. 

6.Situações a serem evitadas

Infelizmente, manter contato com o mínimo de pessoas possíveis durante a quarentena é o recomendado para proteger os idosos. Ou seja, nada de visita-los ou mesmo organizar reuniões familiares nesse período. Para matar as saudades dos pais ou avós, aposte na tecnologia como mensagens e mesmo chamadas de vídeo.

Vez ou outra os idosos precisarão sair para irem ao supermercado ou farmácia. Para essas situações, veja se não é possível que as compras sejam realizadas online ou por telefone, assim, eles não precisarão se expor nas ruas. Alguns supermercados também têm horários específicos pela manhã para atenderem os idosos.

São práticas simples como as listadas acima que ajudarão que os números de casos de coronavírus sejam os mais baixos possíveis, causando menos impactos nas áreas sociais, de saúde e economia.

E se você gostou deste post sobre coronavírus e idosos, aproveite para compartilhar o conteúdo nas suas redes sociais!

Posts relacionados

Deixe um comentário